18 de abril de 2010

Que equipamentos um soldado carrega

Depende da missão. Desde o Império Romano, quando começaram a ser feitos registros do dia-a-dia militar, até a atualidade, a bagagem de um soldado baseia-se em armas, equipamentos de defesa e de sobrevivência no campo de batalha. Em geral, essa carga tem ficado em torno de 30 quilos. Para acoplar essa tralha extra sem literalmente matar o soldado, os militares precisaram criar jeitos de distribuí-la pelo corpo. Um dos estudos mais importantes sobre o assunto apareceu em 1910, quando o Exército dos Estados Unidos desenvolveu seu primeiro padrão para o equipamento do soldado. Chamado de M-1910, o equipamento sofreu vários aperfeiçoamentos nos anos seguintes, mas serviu de base para tudo o que foi feito dali para a frente. Pode-se dizer que sua última versão é o uniforme usado pelos fuzileiros americanos em ação hoje no Iraque. No infográfico, você conhece os detalhes dessa carapaça hi-tech.

Guerra portátil

Fuzileiros americanos levam 30 kg de pura tecnologia bélica
CAPACETE
Os militares americanos usam na atualidade quatro modelos diferentes de capacete, todos feitos com várias camadas de kevlar. Desde de 2004, os fuzileiros recebem um modelo resistente a projéteis de 9 mm
BOLSA PARA REMÉDIOS
Aqui vão medicamentos de extrema urgência, incluindo poderosos anestésicos injetáveis - a maioria dos outros apetrechos para primeiros socorros vai com o paramédico que acompanha cada patrulha
PISTOLA
As forças americanas usam dois modelos de armas para combates mais próximos. Parte dos fuzileiros usa a pistola semi-automática Colt M1911 calibre 45, com alcance de 60 m. Outros usam a pistola Beretta 92S-1, com alcance de 50 m e 1 kg de peso, como a Colt
MEIAS
Manter os pés secos e limpos é indispensável para evitar micoses e feridas que impeçam o soldado de caminhar. Por isso, três pares de meias são incluídos na bagagem, sendo trocados uma vez ao dia e lavados com regularidade
COLETE
Feito de kevlar, uma fibra sintética ultra-resistente, é capaz de deter o impacto direto de um projétil de 9 mm, calibre da maioria das submetralhadoras e pistolas militares usadas pelos exércitos
FUZIL
A arma básica é o fuzil de assalto M-16. Desenhado em 1957, tem calibre 5,56 mm, alcance de 550 m, pesa em torno de 3 kg, é feito de plástico e liga de alumínio. Os modelos mais recentes podem receber um lançador de granadas montado sob o cano
FACA
Usada para cortar fios e cabos, pode ser adaptada ao cano do fuzil M-16, além de servir como punhal de combate, faca de campo e até como serra. A lâmina tem mais de 20 cm e a arma é usada em conjunto com outros modelos mais antigos de baioneta
MUNIÇÃO PARA MORTEIRO
Transportada junto com rádios e agasalhos na mochila maior, que resiste a cargas de quase 60 kg. Morteiros são armas simples, feitas apenas de uma base de metal e um cano que dispara projéteis explosivos capazes de espalhar estilhaços por grandes áreas
BOLSA PARA ÁGUA
Inicialmente usada por ciclistas de competição, a chamada camelbak é transportada nas costas, armazena quase 5 litros e tem um caninho plástico até a boca do soldado, que agora leva apenas um cantil na cintura - usado geralmente para reabastecer a camelbak
PONCHO
Feito de tecido impermeável camuflado, é usado sob chuva, como agasalho leve ou abrigo para dormir à noite. Suas aberturas laterais permitem que o soldado faça movimentos bruscos e rápidos e possa manejar armas com facilidade
BOLSAS PARA MUNIÇÃO
Munição nunca é demais. Por isso as bolsas no suspensório de um fuzileiro são desenhadas com capacidade para pelo menos três magazines de 30 cartuchos para fuzil M-16 ou dois magazines de 20 tiros para carabina M-4 ou ainda quatro pentes de munição para pistola
KIT LIMPA-ARMA
Usado para limpar e lubrificar fuzis, pistolas, submetralhadoras e carabinas - armas que podem emperrar por causa de poeira e umidade. Contém óleo mineral, grafite, flanela e escovinha para retirar resíduos de pólvora do cano
CHEM LIGHT
Do inglês "luz química", são pequenos tubos plásticos (em torno de 15 cm de comprimento) que ao ser agitados produzem uma reação química, gerando luz de baixa intensidade em diversas cores para sinalização ou iluminação de emergência
TOLDO
Feito de plástico ou tecido impermeável em padrões variados de camuflagem (para selva, deserto ou neve), é usado como abrigo contra o sol e a chuva, além de servir para montar barracas e macas improvisadas

Uma bazuca, uma mini-gum e uma mulher boa do lado pra me dar coragem dava para eu encarar uma guerra tranquilo...

Linkei do : Revista Mundo Estranho

6 comentários:

Matheus Rego disse...

Pô, interessante o texto. Nos põe em dia com uma parcela do funcionamento do sistema de guerras, mostrando os equipamentos que os soldados carregam que - diga-se de passagem - são muitos!

Parabéns pelo blog e pela divulgação da matéria! Abraco

Rodrigo disse...

E assim os americanos vão f... o mundo, hehehehe!! É interessante, mas não consigo pensar no lado triste dessa história, principalmente nas empresas que fabricam este equipamento e com, com certeza ficaram muito felizes com as guerras que os EUA começaram.

Abraços

Jhonatan disse...

Pois é, o Brasil poderia estar nessa potência, mas infelizmente os políticos pensam mais no bolso deles no que no país, eles são muitos burros por um lado, se eles investissem mais no país e deixasse o país um lugar bom de se viver aumentaria mais o turismo, principalmente no Rio de Janeiro, e então eles ganhariam mais dinheiro. Eles são políticos mas não sabem fazer uma boa política. ;D deixo minha opinião.

Gavriel Alon disse...

essa é uma das coisas que eu não queria ser..
Não gosto de arriscar minha vida!!

karina de lima disse...

nossa quanta coisa se carrega *-----*
E se eu me arrepender?
http://blogdakarinadelima.blogspot.com/

V_ Leal disse...

E os otários pagam com sangue e pior, gostam.

Postar um comentário